Abit pede a Pimentel novo regime tributário e salvaguardas para setor

0
71
Print Friendly, PDF & Email

 

Por Lucas Marchesini | Valor


BRASÍLIA – O presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Aguinaldo Diniz Filho, solicitou nesta quinta-feira ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, a implantação de um regime especial de tributação para o setor têxtil ainda no primeiro trimestre do ano. Em reunião com Pimentel, representantes do setor também pediram salvaguardas contra a importação de produtos têxteis concorrentes.


Diniz Filho informou que o ministro “mostrou boa vontade” quanto aos pedidos e sugeriu nova reunião com o Ministério da Fazenda para “aprofundar a questão”.


O tema é “urgente”, segundo o executivo. “O setor têxtil se retraiu 4,5{7a3a68e1616b7aaba0d480ce0a8cac54774e7fddc429e25618f6fd9a5a093145} em 2012 e o de confecções, 10{7a3a68e1616b7aaba0d480ce0a8cac54774e7fddc429e25618f6fd9a5a093145}”, disse. Por outro lado, o ramo de vestuário cresceu 4{7a3a68e1616b7aaba0d480ce0a8cac54774e7fddc429e25618f6fd9a5a093145}.


Apesar do cenário negativo, o presidente da Abit admitiu que janeiro foi um “mês melhor” para o ramo têxtil . “Esperamos um aumento da competitividade graças às medidas de estímulo”, disse, em referência à desoneração da folha salarial para o setor, em vigor desde o ano passado, e a redução na tarifa de energia, que passa a vigorar a partir desta sexta-feira.


Mesmo com solicitações adicionais, Diniz listou a redução dos juros e a mudança no patamar do câmbio como medidas benéficas ao setor.