ASSÉDIO ORGANIZACIONAL MPT acusa Honda de desrespeito às leis trabalhistas e pede multa de R$ 66 milhões

0
428
Print Friendly, PDF & Email

O Ministério Público do Trabalho ajuizou ação civil pública contra a fábrica da Honda em Sumaré (SP),  a 118 km da capital paulista, por negligência à saúde de empregados e assédio organizacional.

Na ação, o MPT-SP pede na condenação da montadora japonesa a aplicação de multa de R$ 66 milhões por danos morais coletivos e desrespeito às leis trabalhistas.

A denúncia é baseada em laudos periciais e relatórios produzidos pelas instituições Fundacentro, Gerência Regional do Trabalho (GRT) de Campinas e de peritos do próprio MPT. Também foram colhidos depoimentos e provas documentais.

A ação, assinada pelos procuradores Nei Messias Vieira e Paulo Penteado Crestana, tem como objeto pedir a adequação da conduta da Honda em questões relacionadas à ergonomia, ao acompanhamento da saúde dos empregados, à prevenção de riscos ocupacionais, à adaptação e reabilitação de trabalhadores que se acidentaram ou contraíram lesões na planta fabril e ao assédio sofrido por adoecidos e integrantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), o que configura assédio moral organizacional. O processo tramita na Vara do Trabalho de Sumaré.

0011676-61.2019.5.15.0122

Fonte: Consultor Jurídico.


Warning: A non-numeric value encountered in /home/airesadv/public_html/wp-content/themes/Newspaper/includes/wp_booster/td_block.php on line 308