Comissão rejeita nova punição para comércio ilegal de madeira

0
83
Print Friendly, PDF & Email

 

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio rejeitou na quarta-feira (10) o Projeto de Lei 3249/08, que determina a suspensão por 180 dias, do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), do estabelecimento que vender ou industrializar madeira extraída de forma ilegal. De acordo com a proposta, de autoria do ex-deputado Silvinho Peccioli, em caso de reincidência, o cadastro deverá ser cancelado, até que se conclua a apuração dos fatos.
O relator, deputado Jurandil Juarez (PMDB-AP), foi contrário à proposta, argumentando que o assunto já é suficientemente regulado por meio da Lei de Crimes Ambientais (9.605/98). “A mera apresentação de novos dispositivos legais, por si só, não tem o condão de solucionar graves problemas relativos ao exercício da fiscalização ambiental e ao descumprimento da lei”, afirma.
Tramitação
A matéria também já foi rejeitada pela Comissão de Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional. A proposta tramita em caráter conclusivo. Rito de tramitação pelo qual o projeto não precisa ser votado pelo Plenário, apenas pelas comissões designadas para analisá-lo. O projeto perderá esse caráter em duas situações: – se houver parecer divergente entre as comissões (rejeição por uma, aprovação por outra); – se, depois de aprovado pelas comissões, houver recurso contra esse rito assinado por 51 deputados (10{7a3a68e1616b7aaba0d480ce0a8cac54774e7fddc429e25618f6fd9a5a093145} do total). Nos dois casos, o projeto precisará ser votado pelo Plenário. e ainda será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Câmara