Corrupção é tema de palestra na OAB/MS.

0
47
Print Friendly, PDF & Email

O debate sobre a corrupção no Brasil tem motivado as discussões nos meios de comunicação, no trabalho, nas conversas entre amigos e nas reuniões familiares. Para esclarecer algumas dúvidas, o superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul, Ricardo Cubas César, abordou o assunto no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS).

Por iniciativa dos Rotary Clubs de Campo Grande, a palestra sobre “Corrupção” foi realizada na noite desta segunda-feira (18) com o objetivo de esclarecer a influência da corrupção na cultura do nosso país e as possíveis maneiras de controle social. A conselheira estadual da OAB/MS, Eliane Potrich, a procuradora do Estado e presidente da Comissão de Combate ao Caixa 2, Cláudia Elaine Novaes Assumpção, o governador assistente do Distrito 4470 do Rotary Internacional, Paulo Mattos Pinheiro e o presidente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande, João Carlos Polidoro também participaram do evento. 

De acordo com Ricardo Cubas, aproximadamente 11 mil policiais federais compõem o efetivo da PF em todo o Brasil. Em Mato Grosso do Sul esse número alcança em média 500 policiais, entre agentes, escrivães, peritos, papiloscopistas, delegados e servidores administrativos. Segundo ele, a investigação de crimes financeiros é uma das prioridades da Polícia Federal porque a movimentação bancária deixa rastros. “Boa parte dos crimes poderia ser evitada se o número de empresários e agentes públicos corrompidos fosse menor. Nós temos que mudar esse conceito de que os fins justificam os meios. Moral é quando você faz algo sem estar sendo vigiado”, disse durante sua exposição.

A presidente do Rotary Club Campo Grande, Cláudia Maria Real Leite, comentou a importância de se combater corrupção por meio da educação. Além disso, reforçou a parceria bem-sucedida entre as instituições. “Tanto a OAB/MS quanto o Rotary são instituições fortes, de credibilidade, defendem a ética e buscam proteger a Constituição baseando-se na verdade e no bem da humanidade. A parceria que estabelecemos será muito promissora”, afirmou.

O presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche, ressaltou a corrupção eleitoral como a mãe de todas as corrupções e lembrou o episódio do último domingo, na votação do impeachment. “É importante participarmos das discussões sobre corrupção para evitar que se repita, no futuro, o que vimos no fim de semana passado. Embora o processo do impeachment tenha avançado, faltou maturidade e responsabilidade dos deputados no momento das declarações. Fiquei consternado com o que vi. Precisamos trabalhar em conjunto para transformar o nosso país e as ações do dia-a-dia podem contribuir para mudar o conceito cultural do povo brasileiro”, declarou. 

Fonte: OAB/MS.