Homem que atropelou duas mulheres continuará preso

0
69
Print Friendly, PDF & Email

 

Está mantida a prisão preventiva de um motorista que matou duas mulheres. As vítimas estavam em uma moto quando foram atingidas pelo carro conduzido por ele. O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Cesar Asfor Rocha, negou o pedido de liminar apresentado pela defesa para que o acusado pudesse responder ao processo em liberdade. O ministro entendeu que a prisão preventiva está bem fundamentada, sobretudo para a garantia da ordem pública e asseguramento da aplicação da pena.

Segundo dados do processo, o motorista não tinha carteira de habilitação, estava embriagado, em alta velocidade e não parou no cruzamento, onde acabou atingindo as vítimas.

No habeas corpus encaminhado ao STJ, a defesa sustentou ausência dos requisitos da prisão preventiva e falta de fundamentação do decreto prisional. Alegou, ainda, que a gravidade em abstrato do delito não enseja a necessidade de manutenção da prisão preventiva, devendo estar presentes os requisitos do artigo 312 do Código de Processo Penal. Segundo a defesa, isso não ocorreu.

Ao negar a liminar, o ministro Cesar Rocha ressaltou não haver o constrangimento ilegal apontado, pois os motivos expostos na decisão de primeiro grau mostraram-se suficientes para fundamentar a prisão cautelar do acusado.


Coordenadoria de Editoria e Imprensa