Interrogatório de acusados pela morte de segurança será dia 8

0
48
Print Friendly, PDF & Email

 

Foi realizada nesta terça-feira (29) a primeira audiência do processo movido contra J.M. da S.J. e D.F. de S., acusados pela morte do segurança John Éder Cortiana Gonçalves. O processo tramita na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande.

Consta na denúncia do Ministério Público que no dia 11 de setembro de 2011, por volta das 3 horas, em frente à boate Voodoo, localizada na rua Treze de Junho, no centro de Campo Grande, J.M. da S.J. efetuou disparos de arma de fogo contra o segurança da boate, John Éder Cortiana Gonçalves, causando-lhe a morte. Consta que D.F. de S. instigou J.M. da S. a efetuar os disparos.

Na audiência foram ouvidas as testemunhas de acusação e a defesa de J.M. da S.J. manifestou o interesse em ouvir oito testemunhas de defesa. A próxima audiência foi designada para o dia 8 de dezembro quando ocorrerá o interrogatório dos réus.

Quanto ao pedido de revogação da prisão preventiva de D.F. de S., o juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri afirmou que permanecem os mesmos motivos que ensejaram a prisão.

No último dia 17 de novembro, a 2ª Turma Criminal concedeu a ordem do Habeas Corpus impetrado por J.M. da S.J. para converter sua prisão preventiva em prisão domiciliar, sendo que ele somente poderá se ausentar de sua residência caso comprovado que se dirija para seu trabalho.

Durante a audiência, o juiz Aluízio Pereira dos Santos determinou que a defesa de J.M. da S.J. deverá trazer, num prazo de cinco dias, o comprovante do trabalho do acusado, horário de entrada e saída, horário de almoço, dias de folga, eventuais feriados e trajeto a ser percorrido da casa até o trabalho.