Jarbas critica Lula por declarações sobre o fim da CPMF

0
42
Print Friendly, PDF & Email





Da Redação


O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) criticou, em discurso em Plenário na quarta-feira (25), entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, publicada naquele dia em veículos de comunicação e, sobretudo, em blogs. Segundo o senador, ao falar sobre a questão da saúde e do programa Mais Médicos, Lula teria lembrado a rejeição da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), classificando o fato como uma tentativa de prejudicá-lo, mas que teria causado danos, na verdade, ao povo brasileiro, com a supressão de R$ 40 bilhões para a saúde.

Para Jarbas Vasconcelos, trata-se de “uma mentira deslavada”.  O senador lembrou que a CPMF foi criada no governo de Fernando Henrique Cardoso, em 1997, como um imposto para financiar exclusivamente a saúde. Depois, lamentou ele, “começaram as distorções e virou uma festa o dinheiro desse imposto”. A contribuição teve que ser prorrogada várias vezes, ressaltou o parlamentar, sempre com a oposição do Partido dos Trabalhadores, que alegava ser insuportável a carga tributária do país. Em 2007, no governo de Lula, disse Jarbas Vasconcelos, a prorrogação da CPMF foi rejeitada pelo Congresso Nacional graças à organização da oposição.

– E o Lula inventa que isso foi contra ele, com um discurso de que tiraram R$ 40 bilhões dele. Tiramos R$ 40 bilhões de imposto, da carga tributária, que ele tentou tirar várias vezes e não alcançou sucesso – afirmou o senador, defendendo a derrubada de outros impostos para aliviar a carga que, como observou, pesa, sobretudo,  para os trabalhadores.

Jarbas lembrou que o PT inclusive ameaçou recorrer à Justiça contra a CPMF:

– Então, essa história de dizer que foi contra Lula não é verdade. O PT veio à tribuna lutar contra a CPMF e ameaçar, inclusive, de recorrer à Justiça, como fez contra o Plano Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal, o Proer e contra outras medidas que conseguiram, juntas, estabilizar o país, um país que nem moeda tinha. Até a implantação do Real, éramos um país sem moeda! O Brasil da época do Cruzeiro e do Cruzado era um país avacalhado.

Em aparte, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirmou que, para “justificar o fracasso da gestão em matéria de saúde pública no País”, o PT usa o fim da CPMF como pretexto.


Agência Senado