Juízes e procuradores cercam prédio do Supremo por aumento de salários

0
60
Print Friendly, PDF & Email

 

O prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), a Praça dos Três Poderes, em Brasília, está cercado por juízes e procuradores que pedem aumento de salários. Há filas em todas as entradas da Corte e mais de 200 manifestantes – a maioria de terno e blazer – estão no entorno do edifício, onde devem dar as mãos e promover um “abraço” como forma de protesto.

Os juízes e procuradores defendem o reajuste do teto salarial do serviço público. O salário equivale ao dos ministros do STF e está fixado, hoje, em R$ 26,7 mil. Eles querem que o valor passe para R$ 30,6 mil. Se o teto aumentar, juízes e promotores também vão passar a receber a mais, pois eles ganham um percentual em cima dos vencimentos dos ministros do STF.

O presidente da Corte, ministro Cezar Peluso, recebeu os líderes de várias entidades da magistratura e do Ministério Público. Ele também defende o reajuste. Mas, o governo federal é contrário aos aumentos, pois avaliou que eles vão custar muito aos cofres públicos. Segundo o Ministério do Planejamento, o impacto seria de R$ 7,7 bilhões anuais.

Entre as entidades que participaram do encontro com Peluso estão as associações dos Membros do Ministério Público (Conamp), dos Magistrados Brasileiros (AMB), dos Procuradores do Trabalho (ANPT), dos Procuradores da República (ANPR), dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) e dos Juízes Federais (Ajufe).