Nove Tribunais de Justiça tiveram novos Presidentes nos últimos cinco meses

0
69
Print Friendly, PDF & Email

 

Nos últimos cinco meses, nove presidentes novos assumiram Tribunais de Justiça no Brasil. A posse mais recente aconteceu no dia 22 de abril no Judiciário do Distrito Federal e dos Territórios, quando o Desembargador Otávio Augusto Barbosa iniciou as atividades do biênio 2010/2012.

Antes do TJDFT, Tribunais de Justiça da Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo e Santa Catarina passaram a ter novos administradores.

Na Bahia, assumiu a Presidência a desembargadora Telma Britto. Em seu pronunciamento, a desembargadora disse que falava com o coração, analisando a situação do Poder Judiciário da Bahia, seus problemas, anseios, conquistas e realizações.

No TJ pernambucano, assumiu a Presidência o desembargador José Fernandes de Lemos. Em seu discurso, o presidente atacou o problema da lentidão processual, apontando ser uma das prioridades de sua gestão. “As políticas públicas do Poder Judiciário deverão refletir sobre o que mais nos atormenta: a morosidade na prestação jurisdicional. As causas são as mais variadas, mas, dentre elas, também está o nosso proceder”, disse.

No Rio Grande do Sul, a liderança do TJ passou para o desembargador Leo Lima. É o 45º presidente da corte. Em seu discurso de posse, o magistrado destacou propostas do Plano de Gestão do Judiciário, como a reforma da legislação processual, obrigatoriedade da utilização dos Juizados Especiais e implantação do processo virtual.

Em Santa Catarina, a Presidência do TJ deu boas-vindas ao desembargador José Trindade dos Santos. “Nos próximos dois anos, serei o porta-voz da Instituição e garanto que nossa administração será austera e eficiente não para oferecer o possível e o impossível, mas o melhor para a sociedade catarinense”.
  
No Espírito Santo, foi empossado como novo presidente do TJES o des. Manoel Alves Rabelo. Segundo ele, a grande preocupação é dar mais celeridade aos julgamentos e ser mais eficiente. “Vamos otimizar o tempo dos julgamentos e medidas simples podem ser adotadas para efetivar a celeridade. Vamos trabalhar com as pautas temáticas, como faz o Supremo Tribunal Federal. O STF aplica as súmulas nos recursos repetitivos. Aqui, o julgador também vai poder aplicar para agilizar os julgamentos”, explicou Manoel Rabelo. “A marca da nossa gestão será agilidade, rapidez e efetividade”, ressaltou o presidente.

Na Justiça paulista, O desembargador Antonio Carlos Viana Santos tomou posse no dia 4 de janeiro como novo presidente do TJSP, cargo que ocupará no biênio 2010-2011. “Agradeço aos que votaram em mim e aos que não votaram. Conto com a união de todos para uma melhor administração jurisdicional, dando o que é de direito a todos”, disse.

No Maranhão, o desembargador Jamil de Miranda Gedeon Neto é o presidente do Tribunal de Justiça, empossado em dezembro de 2009. No discurso, Jamil Gedeon destacou como princípios da sua linha de trabalho a prioridade à Justiça de 1º grau, a busca pela gestão profissional e a necessidade da continuidade administrativa, com o comprometimento de todos: servidores e magistrados. “O Poder Judiciário não tem tempo a perder. Temos que nos aperfeiçoar para buscar a eficiência, e sei que somos capazes de fazer, pois somos capazes de transformar crises em oportunidades, aspirações em realidades”, ressaltou.

Em Rondônia, o Tribunal de Justiça deu posse ao desembargador Cássio Rodolfo Sbarzi Guedes, no dia 18 de dezembro de 2009. Nas primeiras palavras como presidente, Cássio Sbarzi Guedes defendeu a democracia e todas as garantias e direitos conquistadas pela sociedade brasileira: “hoje o Judiciário é a garantia última da preservação do Estado democrático de direito”. O presidente do TJRO falou da necessidade de dar ainda mais atenção ao juiz de 1º grau, que precisa ser de fácil acesso ao cidadão.

Fonte: Respectivos portais dos TJs relacionados.