OAB enaltece campanha para fechar cerco à violência contra as mulheres

0
50
Print Friendly, PDF & Email

 

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, enalteceu hoje (07) a campanha “Compromisso e Atitude no Enfrentamento à Impunidade e à Violência contra a Mulher”, firmada entre a ministra da Secretaria de Política para as Mulheres, Iriny Lopes, o Supremo Tribunal Federal e o Conselho Nacional de Justiça, para fechar o cerco à violência contra as mulheres e imprimir prioridade a processos judiciais que versem sobre homicídios de mulheres. A campanha foi celebrada nesta terça-feira, dia 6 de dezembro, quando se celebra o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres. “Para além do simbolismo da data, que representa o marco da luta contra a violência contra as mulheres, o mais importante é disseminar a cultura da paz, tão necessária numa sociedade em que os valores da família, da ética e da educação estão cada vez mais ausentes”, afirmou Ophir Cavalcante.

 Para o presidente da OAB, o principio da igualdade repudia toda e qualquer diferença entre mulheres e homens, sobretudo a violência física ou psíquica. “A OAB está solidária a essa luta e vai engajar suas mais 1000 unidades e seus mais de 30.000 voluntários no Brasil inteiro para difundir a cultura da paz”, acrescentou Ophir, ressaltando o dado de que, a cada duas horas, uma mulher é assassinada no país vítima de violência.

 O Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres passou a ser celebrado no dia 6 de dezembro porque foi nesta data, no ano de 1989, que o jovem Marc Lepine, de 25 anos, invadiu uma escola de Montreal, no Canadá, retirou os homens do local e, em seguida, atirou e matou 14 mulheres e depois se matou. Em carta deixada por ele, Lepine justificava o ato dizendo que não suportava a ideia de ver mulheres estudando Engenharia em seu país, curso tradicionalmente destinado aos homens.