TJGO – Suspensa greve dos delegados de polícia de Goiás

0
88
Print Friendly, PDF & Email

 

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Paulo Teles, suspendeu provisoriamente a execução da decisão proferida pela desembargadora Beatriz Figueiredo Franco, que concedia parcialmente a antecipação de tutela, no sentido de manter no exercício normal das atividades institucionais o contingente de 50{7a3a68e1616b7aaba0d480ce0a8cac54774e7fddc429e25618f6fd9a5a093145} do efetivo do quadro dos delegados de polícia do Estado de Goiás, sob pena de multa diária no valor de R$ 50 mil. Teles ainda suspendeu o movimento paredista, até a instrução da ação, atribuindo efeito ativo a pedido do Estado contra o Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Estado de Goiás (Sindepol), que visava a suspensão da greve.

O presidente-desembargador afirmou que o estado permanente do movimento grevista, ainda que parcial, acarretará graves prejuízos à segurança e à ordem pública e que os serviços prestados pelos delegados são de cunho essencial e contínuo. “Entendo bem a importância do movimento paredista como instrumento de pressão. Entretanto, a greve no serviço público, mormente na área de segurança, expõe a população à sanha dos marginais, deixando a sociedade instável e desassistida”, esclareceu Paulo Teles, afirmando que o ideal seria que as partes em conflito debatessem o assunto, sem impor à comunidade a sensação de desamparo e orfandade.