TJMS – 100{7a3a68e1616b7aaba0d480ce0a8cac54774e7fddc429e25618f6fd9a5a093145} dos processos do Juizado Central são eletrônicos

0
95
Print Friendly, PDF & Email

 

Como resultado do trabalho da equipe formada por dois servidores e sete estagiários do Poder Judiciário de MS, todos os processos físicos da 7ª Vara do Juizado Especial foram digitalizados, exceto os arquivados e os que estão nas turmas recursais. Com isso, 100{7a3a68e1616b7aaba0d480ce0a8cac54774e7fddc429e25618f6fd9a5a093145} dos processos em andamento no Juizado Central de Campo Grande são eletrônicos.


O procedimento de digitalização começou em março deste ano e teve a colaboração da Coordenadoria de Apoio dos Juizados, que auxiliou no encerramento das pendências referentes aos processos, tornando possível a alteração do extinto foro 115 para o 110, vinculado à 7ª Vara do Juizado Especial, para finalmente digitalizar os processos. O procedimento também teve o respaldo do juiz diretor do Foro dos Juizados, Cezar Luiz Miozzo, e da juíza Patrícia Kelling Karloh.


Ressalte-se que todos os documentos constantes nos processos foram escaneados, permitindo o acompanhamento dos trâmites processuais pela internet. Assim, além de visualizar os autos, as partes poderão imprimir os documentos constantes nos processos. Inicialmente, foram 94 processos digitalizados e, ao término de todo o procedimento, o número atingiu 456 processos.


Importante lembrar que o processo eletrônico não apenas colabora com a preservação do meio ambiente ao eliminar o processo físico, economizando papel, tinta de impressão e outros recursos materiais e, principalmente, vai ao encontro do art. 5º, inciso LXXVIII, da Carta Magna, que assegura a razoável duração do processo, como também os meios que garantam a celeridade de tramitação.


Para a chefe do cartório cível do Juizado Central, Aparecida da Silva Bem, a digitalização contribui para a rapidez no andamento do processo. Ela lembrou que antes da digitalização gastava-se muito tempo com o atendimento das partes, dos advogados e para realizar a carga do processo para os advogados.


“Agora, graças ao fato de todos os processos em andamento serem eletrônicos, os advogados e as partes podem ter acesso a ele sem precisar deslocar-se até os cartórios”, disse.


Para o juiz Miozzo, a principal facilidade do trâmite eletrônico é o fácil e rápido acesso, sem a necessidade de deslocamento até o cartório. “Acompanhar o processo ficou mais cômodo, porque com uma senha, partes e advogados consultam os autos de casa. Não podemos esquecer também o apoio do Des. Marco André Nogueira Hanson, presidente do Conselho de Supervisão dos Juizados, bem como o empenho e esforço dos juízes que atuaram na 7ª Vara do Juizado e dos servidores responsáveis pela digitalização. A dedicação de todos é que tornou tudo isso realidade”.


Saiba mais – Como consultar o andamento do processo? Basta acessar o site do Tribunal de Justiça (www.tjms.jus.br) e, na página inicial, existe um espaço denominado Consulta Processual, que fica localizado no centro da página, abaixo da notícia de destaque.


Depois é só selecionar 1º grau, 2º grau ou Juizados; a Comarca/Varas/Juizados/Turma Recursal, e realizar a consulta, que pode ser feita com o número do processo, nome da parte, documento da parte, nome do advogado, número da OAB ou outro número do processo. Preenchidos os termos de consulta, basta clicar no ícone Consultar.


Para mais informações sobre o processo eletrônico, bem como sobre o Fórum Central dos Juizados, basta acessar a cartilha do Zé Virtual no link Juizado Central (http://www.tjms.jus.br/juizados/juizados_central.php), localizado na parte inferior de fundo verde da página inicial, constante no site do TJMS.



Autor da notícia: Secretaria de Comunicação